O Achei Ofensivo é um projecto que nasceu da vontade de uma escritora por paixão e da necessidade de divagar sobre situações do dia-a-dia absolutamente estúpidas e que não fazem sentido algum. Por quê este nome? Porque sempre que vejo algo que não me agrada, algo simplesmente idiota ou desnecessário é frequente ver-me a soltar um: “Achei ofensivo.”

 

Chamo-me Juliana mas não gosto muito do meu nome. Tenho 20 anos de idade, embora não pareça e sou natural de Lisboa, em Portugal. Ao contrário da maioria dos jovens da minha idade eu realmente gosto de ler e tenho prazer em fazê-lo, prefiro a companhia de uma caneta à companhia dos humanos. Gosto daquilo que a leitura me oferece, das sensações que me proporciona e de poder ser mil pessoas, viajar para imensos lugares sem sequer sair do meu sofá. Ganhei o gosto pela leitura por influência da minha mãe que sempre tentou e nunca desistiu de me incutir o quão bom ler é, afinal é nos livros que se adquire o conhecimento da vida e não estou a menosprezar o meu querido Google mas é que o cheiro de um livro acabado de comprar é tão mais apaixonante. A minha paixão pela escrita surgiu graças a Harry Potter e aos 12 anos já escrevia histórias de própria autoria baseadas nesse mundo tão complexo e interessante e bom desde aí nunca mais parei e sou grata por não tê-lo feito. É na escrita que descubro quem sou e encontro a minha paz, é nela que tenho reflexões importantes e é ela que me tranquiliza, faço-o com gosto.
Estou no segundo ano do meu curso, Técnico de Artes Gráficas e só estou ali por engano pois disseram-me que era igual a Design e afinal não é nem um pouco parecido mas agora que ali estou, irei acabá-lo. Ainda não sei o que pretendo fazer da minha vida, algo que é grave já que necessito de ganhar dinheiro e ser independente, ser “adulta” mas sei que não quero estar três anos da minha vida atrás de uma secretária para depois ficar mais trinta atrás de outra, essa é a minha filosofia de vida, sou um espírito livre e quero poder viajar, conhecer novos lugares, diferentes pessoas e recolher testemunhos, ouvir histórias de vida.
Adoro escrever e adoro comunicar e falo sobre qualquer assunto sem problemas nenhuns mesmo que não o conheça, isso fará eu ir estudá-lo e saber um pouco mais sobre ele (novamente conhecimento). Sou introvertida e como todo o bom introvertido adquiro a minha energia do interior e não do exterior então é mais fácil ver-me por aqui do que propriamente numa discoteca a noite inteira, aglomerados cansam-me, acho que tenho alergia a pessoas.

Anúncios